fbpx
Menu
a-sindrome-do-coracao-rigido-pode-ser-fatal-entenda

A Síndrome do Coração Rígido pode ser fatal? Entenda!

08 fevereiro de 2019

Se você tem 40 anos e sente falta de ar, cansaço e fraqueza ao fazer exercícios, fique atento! Esses podem ser alguns dos sintomas da amiloidose cardíaca, que é mais conhecida por outro nome: Síndrome do Coração Rígido. A doença é rara e afeta o miocárdio, por conta do acúmulo de proteínas, chamadas de amiloides, nas paredes do coração.

Infelizmente, a resposta para a pergunta do título deste post não é das melhores, pois a Síndrome do Coração Rígido pode mesmo ser fatal. Isso é raro, mas pode acontecer quando o paciente apresentar quadros de arritmia ventricular maligna. Nesse caso, é até recomendado o implante de desfibriladores automáticos – ferramenta que contribui para identificação de arritmias cardíacas graves e que emite choques para tratá-las imediatamente. Outra preocupação é que a AL, tipo de amiloidose primária, provoca a formação de trombos dentro dos átrios (câmaras cardíacas e superiores coletoras de sangue) que pode causar um AVC (Acidente Vascular Cerebral).

Como descobrir se tenho a síndrome?

O diagnóstico pode ser feito com a avaliação clínica dos sintomas e por meio da realização de vários exames, como: eletrocardiograma, ecocardiograma e ressonância magnética. Esses exames irão verificar a ocorrência de arritmias cardíacas, além de detectar alterações nas funções do coração e distúrbios na condução elétrica cardíaca. No entanto, o exame mais assertivo é a biópsia do tecido cardíaco. Esse tipo de diagnóstico é feito por meio de estudo histoquímico das amostras, com a finalidade de identificar as diferentes formas da amiloidose: hereditária, senil, sistêmica ou primária. Dessa forma, será possível saber qual a gravidade da doença e definir qual tratamento deve ser seguido.

Além de insuficiência cardíaca, quais são os outros sintomas?

É claro que a insuficiência cardíaca é o principal sinal da Síndrome do Coração Rígido. No entanto, outros sintomas podem manifestar-se, como, por exemplo: estase jugular (alargamento das veias do pescoço), falta de ar, desmaios, tosse seca persistente, cansaço ao fazer exercícios, pernas inchadas, aumento do fígado, acúmulo de líquido no pulmão e pressão baixa ao levantar rapidamente, dentre outros.

Quais os tratamentos disponíveis?

Os tratamentos indicados podem variar muito, de acordo com a gravidade da doença. É evidente que, nos casos mais graves, o mais indicado é o transplante de coração. Já em casos em que ainda é possível controlar a doença, recomenda-se o uso de marca-passos e desfibriladores para monitoramento da frequência cardíaca.

Quando a causa da Síndrome do Coração Rígido for o mieloma múltiplo, o tratamento indicado é a quimioterapia. Já quando detectada a presença de trombos dentro dos átrios ou ventrículos ou mesmo fibrilação atrial, o mais recomendado é o uso de anticoagulantes.

Emoções fortes também devem ser evitadas, pois podem causar alterações cardíacas. Por isso, a família deve tomar cuidado ao dar alguma má notícia ao paciente ou mesmo submetê-lo a uma situação de stress.