fbpx
Menu
e-possivel-curar-o-cancer-de-prostata-saiba-mais

É possível curar o câncer de próstata? Saiba mais!

30 novembro de 2018

Responder a essa pergunta não é tarefa fácil! É muito complicado afirmar, em alto e bom som, que é possível curar o câncer de próstata, ou mesmo outros tipos de tumor. No entanto, no caso do câncer de próstata, as chances podem aumentar em 95%, quando o tumor for diagnosticado em estágio inicial. Atualmente, 20% dos casos são diagnosticados já em estágios avançados, dificultando a eficácia das terapias. Daí a importância da realização dos exames de toque (inserir link post do exame de toque) e PSA (Antígeno Prostático Específico), principalmente se você tem mais de 50 anos.

Cirurgia e remoção do tumor garantem a cura?

Não garantem. Mas, com a remoção do tumor por meio de cirurgia, chamada de prostatectomia radical, as chances de cura podem chegar a 95%. Com alguns tipos de terapia, como a braquiterapia (radioterapia interna), as chances podem ser de 75%; ou até de 80%, com a aplicação da radioterapia externa e mais comum. Ainda, em alguns casos, as duas terapias – cirurgia e radioterapia – podem ser combinadas, gerando ótimos resultados e aumentando a sobrevida do paciente.

Novas terapias

Além da cirurgia e da radioterapia, outros tratamentos vêm sendo descobertos ao longo dos anos, como, por exemplo, o uso de bloqueadores hormonais administrados por via oral. Descoberta em 2011, por pesquisadores europeus e americanos, a terapia proporcionou uma sobrevida muito maior para os pacientes, sem a necessidade da realização de quimioterapia, tratamento que causa fortes efeitos colaterais.

Uma nova pesquisa desenvolvida pelo Instituto Weizmann de Israel representou uma luz no fim do túnel e garante 80% de chance de cura. O tratamento consiste na aplicação de um remédio e logo depois a incisão de uma luz infravermelha na próstata. Uma das vantagens desse tratamento é a ausência de efeitos colaterais.

Ainda em fevereiro deste ano, um novo medicamento foi liberado pelas agências reguladoras americanas: a apalutamida. Já aprovado pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), o medicamento diminui o risco de metástase a distância em 72% e deve chegar ao Brasil em 2019.

Outra droga que apresenta resultados animadores é a abiraterona. O remédio é tomado por via oral uma vez por dia e, se administrado durante o início da hormonioterapia, pode diminuir o risco de morte em 38%. Apesar de estar liberado pela Anvisa desde 2012, só agora esse medicamento pode ser utilizado no Brasil para o tratamento do câncer de próstata nos estágios iniciais.