fbpx
Menu

Síndrome do coração partido: descarga de adrenalina pode simular infarto

01 junho de 2018

Uma tristeza profunda ou uma emoção negativa muito forte, como o fim de um casamento, a descoberta de uma traição, um acidente ou a perda de um familiar querido podem provocar a síndrome do coração partido, também conhecida como cardiomiopatia de Takotsubo. O problema provoca sintomas semelhantes aos de um infarto, como dor no peito, falta de ar, tonturas e vômitos.

A doença é recente e foi descoberta em 1990 por médicos japoneses. Os sintomas surgem após uma situação de grande estresse. É como se a liberação excessiva de adrenalina por esse impacto emocional “partisse o coração”. Na verdade, uma das partes do coração, o ventrículo esquerdo, fica parado na sístole (contração muscular das câmaras cardíacas). Como ele não se contrai, acaba assumindo uma forma balonada que imita a armadilha usada no Japão para capturar polvos. Por isso o nome tako (polvo) + tsubo (pote).

Embora os sintomas sejam os mesmos, no infarto clássico as artérias se fecham e o coração não volta a funcionar. Já na síndrome do coração partido, a artéria não tem obstrução, o coração para porque a musculatura é afetada temporariamente, voltando depois ao seu funcionamento normal. Entretanto, as enzimas cardíacas se elevam e o eletrocardiograma também fica alterado. Mas o ecocardiograma e o cateterismo mostram que não houve obstrução coronariana e nem placas de ateromas.

A incidência é maior entre as mulheres, principalmente na fase de pós-menopausa, após os 55 anos. A hipótese é de que isso ocorra pela redução dos níveis de estrogênio e, consequentemente, do seu efeito protetor do endotélio, que é a camada interna das artérias.

A síndrome surge sempre após forte estresse, que pode, ainda, ser causado por um assalto, uma grande catástrofe – como enchente ou terremoto -, guerra, demissão, violência doméstica ou outra situação que provoque grande angústia. Embora o gatilho da doença seja emocional, as consequências físicas são reais e requerem tratamento.

Como os sintomas são idênticos aos do infarto, sempre que surgir dor forte no peito, dificuldade para respirar e tontura procure o médico, imediatamente, para avaliar o funcionamento do coração. O rápido atendimento diminui o risco de danos. No infarto, uma pessoa pode perder até um terço da musculatura cardíaca, mas esta pode ser recuperada completamente quando o atendimento ocorre nas primeiras horas após o surgimento dos sintomas.

Não coloque a sua vida em risco. Visite o médico regularmente, mantenha hábitos saudáveis, controle as doenças crônicas, faça atividade física e tenha hobbies para canalizar o estresse. Com essas medidas, o seu coração fica mais protegido!