fbpx
Menu
voce-sabe-o-que-e-melasma-conheca-cinco-fatores-de-risco

Você sabe o que é melasma? Conheça cinco fatores de risco!

11 janeiro de 2019

Gosta de verão, de piscina, muito sol e diversão? Muito bom, não é? No entanto, fique atento! É preciso tomar alguns cuidados, como, por exemplo, a exposição diária ao sol. Você pode ser acometido de inúmeros problemas de saúde, dentre eles, o melasma, que é o aparecimento de manchas escuras na pele, de cor amarronzada no rosto – testa, bochecha, queixo e nariz.

O melasma é mais comum em mulheres de 25 a 40 anos e acomete apenas 10% dos homens. Existem três tipos de melasma, que são: 1) Epidérmica: quando é afetada a camada mais superficial da pele; 2) Dérmica: acomete as camadas derme e profunda; 3) Mista: surgimento das marcas na epiderme e na derme.

Quando as manchas surgirem no rosto, o melhor a fazer é procurar um dermatologista para que sejam feitos o diagnóstico e o tratamento mais adequado. Não deixe de cuidar do melasma, pois as manchas escuras podem camuflar um possível melanoma, tipo mais perigoso de câncer de pele.

O melasma pode ser facilmente evitado! Basta que você se atente à prevenção e preste atenção aos principais fatores de risco. Confira cinco deles:

1) Ser mulher: 90% dos casos são em mulheres.

2) Ter pele mais escura: o melasma costuma acometer mulheres com tom de pele mais escura, como africanas, afrodescendentes, indianas, hispânicas e asiáticas. Isso acontece por possuírem mais melanócitos ativos para produção de melanina (pigmentação da pele).

3) Ser gestante: as manchas podem ser mais recorrentes em grávidas, devido às alterações hormonais.

4) Hereditário: sim, o melasma pode ser hereditário. Portanto, se você tem algum parente direto que já teve a doença, fique atento.

5) Exposição ao sol: com certeza, esse é o principal fator de risco. Portanto, tome cuidado com as altas temperaturas, principalmente no verão, e evite ficar exposto ao sol por muito tempo.

Tratamento

Existem diversas maneiras de tratar o melasma, porém a melhor solução é a prevenção. Nunca se esqueça da prevenção, usando protetores contra os raios ultravioleta A (UVA) e ultravioleta B (UVB). Agora, se você não se protegeu, não passou protetor, e está com melasma, há vários procedimentos que podem ser tomados, como o clareamento da pele com creme hidroquinona, ácido glicólico, ácido retinoico, ácido azelaico.

Tratamentos com laser e energias luminosas também costumam ser bem eficazes. No entanto, cuidado! Faça o procedimento com técnicos especializados.

São indicados também alguns medicamentos ingeridos por via oral, como o Fluocinolona acetonida, hidroquinona + tretinoína, Suavicid. Mas nunca tome esses remédios sem prescrição médica. É muito importante seguir a duração do tratamento e a dosagem recomendadas pelo médico.